O amor sem glúten

Procurar substitutos é uma das formas de lidar com o que não nos faz bem. Passamos a vida viciados em ajustar detalhes, trocando um botão aqui ou ali, colocando uma colher a menos de manteiga na panela. Vamos reformando nossas escolhas em busca de corpos mais saudáveis, de rotinas mais saudáveis, de relacionamentos mais saudáveis. Queremos o que há de melhor para nós mesmos, e por isso, ajustamos horários, fazemos restrições, cortamos e colamos pessoas na nossa vida.

Nos habituamos na busca pelo adequado, nos acostumamos a procurar o encaixe perfeito aparando arestas, nossas e alheias. Queremos o pão sem glúten, o leite sem lactose, o par sem defeito. Nos adaptamos aos relacionamentos sem açúcar e aos brigadeiros sem emoção.

Mas amar é gordo. Tem que ser. Tem que dar prazer e dor de estômago. Tem que ter o melhor gosto do mundo, mesmo que dê uma dor de cabeça aqui ou ali. Trabalhar é a saladinha de rúcula com rabanete. Amar é a colher de doce de leite cheia no fim do dia.

Amar é uma mistura ilógica de ingredientes que, se bem misturados, se tornam uma perfeita coisa só. Um bolo. Com calda. E sorvete. Amar é textura e consistência.

Quem ama sem glúten tem casa bonita, férias incríveis, um potencial enorme e uma aparência definitivamente atraente. Pode ser mais saudável e mais bonito. Mas, se puder escolher, escolha o que, mesmo com os piores ingredientes, consegue ser o mais delicioso, desses que deixa sorrisos e marcas permanentes.

Porque o amor que a gente quer, que a gente quer mesmo, é o que tem farinha. E açúcar, e manteiga, e sal, e corante, e espessante e, claro, conservante.

(texto bobo inspirado nesse aqui do salada mista)

Anúncios

2 comentários sobre “O amor sem glúten

  1. Adorei o texto. Só não compartilho com você a presença do conservante no amor gordo…. pra mim, ele não existe. O amor gordo é bem mais perecível do que o amor pasteurizado, Nina… on the other hand, o amor gordo necessita ser consumido por completo e, depois, ser renovado.
    E as novas receitas desse amor precisam ser escritas e feitas a quatro mãos.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s